Holter

Holter

Dentro das possibilidades de diagnósticos em medicina veterinária o uso do Holter pode ter indicação em nossos pacientes, com o objetivo de identificar e diagnosticar possíveis arritmias em pacientes com síncopes, isquemia do miocárdio ou cardiomiopatias, de acordo com a indicação do Clínico Veterinário.

O Holter 24h é uma ferramenta não-invasiva valiosa para a monitoração prolongada do ritmo cardíaco durante as atividades diárias normais. Trata-se de uma avaliação eletrocardiográfica dinâmica durante 24 h, diferenciando-se do exame eletrocardiográfico tradicional que avalia o ritmo cardíaco por apenas alguns minutos. Sua aplicação na clínica geral é muito útil na diferenciação de convulsões e síncopes que são, comumente, confundidas. Além disso, permite diagnosticar causas de sintomas clínicos pouco específicos como fraquezas repentinas, tonturas e perdas de equilíbrio que não seriam detectados em outros exames complementares.

Com a utilização do Holter 24h na rotina cardiológica, demonstrou-se que a incidência de arritmias malignas era maior do que aquela determinada até então pelo exame eletrocardiográfico de rotina. No Holter 24h o paciente é avaliado, dentro de seu ambiente, mantendo sua rotina diária normal, o que exclui o estresse de consulta que pode ser responsável por mascarar momentos de arritmia. Sua interpretação consiste na análise do traçado eletrocardiográfico correlacionando-o com o relatório de atividades do animal durante a realização do exame.

Na clínica cardiológica este exame é essencial na decisão e verificação da eficácia dos tratamentos antiarrítmicos, sendo também fundamental na avaliação de implantes de marcapasso.

Estudos com avaliação por Holter 24h em cães da raça Boxer e Dobermann correlacionaram a quantidade de extra-sístoles de origem ventricular com a Cardiomiopatia Dilata e demonstraram ser possível detectar a segunda pelo Holter muito antes de alterações ecocardiográficas aparecerem.

Pacientes com CMD devem, por eleição, também ser periodicamente monitorados por Holter 24h, já que o aparecimento ou aumento na quantidade de extrassistoles podem indicar, precocemente, a piora do prognóstico e outras medidas podem ser adotadas antes que as alterações elétricas causem piora na hemodinâmica do paciente.

As doenças que levam ao aumento cardíaco, ocasionam o estiramento do feixe muscular do músculo e, a médio-longo prazo, ao depósito de fibrócitos (células produtoras de tecido conjuntivo, como o colágeno) que interrompem o trajeto normal do estímulo elétrico pela musculatura do coração, gerando assim, focos de arritmia. O próprio coração, com a insuficiência cardíaca, sofre com a pouca oxigenação, lesando pequenas áreas do músculo cardíaco e gerando focos de arritmia.

A colocação do Holter é muito simples: conectam-se ao paciente 4 eletrodos e o aparelho (pesando apenas 140 gr) é acoplado a uma jaqueta de nylon colocada no animal. O proprietário deverá anotar detalhadamente as atividades do paciente durante as 24 horas de exame. A retirada do aparelho é feita ao fim do exame para análise do traçado e, o laudo, entregue ao clinico solicitante em, até, 7 dias úteis.